Transforma√ß√£o √Āgil Corporativa
Loading...

Dificuldade para inovar? Processos complicados? Falta de resultados em ideias implementadas? Se sua empresa também enfrenta esses problemas que dificultam a trajetória rumo ao sucesso, provavelmente está na hora de saber o que é design thinking e como aplicá-lo ao negócio.

O QUE √Č DESIGN THINKING?

Trata-se de uma abordagem desenvolvida para solucionar problemas de forma coletiva e colaborativa. O objetivo é colocar todas as pessoas envolvidas no centro do desenvolvimento de um produto ou serviço, e não apenas o consumidor final.

O uso dessa expressão tornou-se popular depois que Tim Brow, CEO da Ideo, defendeu a ideia de que as empresas e pessoas em geral, independentemente da área de atuação, deveriam pensar como designers.

Segundo o executivo, tal pensamento √© fundamental para alcan√ßarmos um n√≠vel de inova√ß√£o radical suficiente para a conquista do sucesso no mercado e na vida. Ainda de acordo com Brown, a grande diferen√ßa entre o pensamento do designer e o de ‚Äúmeros mortais‚ÄĚ √© sua capacidade de enxergar o mundo ao redor de forma hol√≠stica.

Isso o habilita a perceber os aspectos cognitivos, emocionais e estéticos envolvidos na experiência do ser humano em relação a determinado fator. Assim, ele se torna capaz de identificar problemas e solucioná-los de forma realmente inovadora.

O design thinking ganhou popularidade e, hoje, n√£o √© usado apenas em empresas. Ele foi a base para a cria√ß√£o de um programa que reduziu de 65% para 20% o n√ļmero de crian√ßas subnutridas no Vietn√£, por exemplo.

Portanto, se o design thinking j√° comprovou seus benef√≠cios tanto para as corpora√ß√Ķes quanto para a sociedade como um todo, por que n√£o conhec√™-lo e aplic√°-lo no neg√≥cio em que voc√™ atua?

COMO FUNCIONA O DESIGN THINKING?

O design thinking é uma abordagem, e não uma metodologia. Seu funcionamento se dá a partir de 5 passos:

1. IMERSÃO

Na etapa de imers√£o (ou identifica√ß√£o), a equipe descobre quais problemas afetam o grupo que ser√° beneficiado. √Č preciso transformar essa dificuldade em um desafio a ser solucionado com o desenvolvimento de um produto ou servi√ßo.

A equipe deve usar a aproxima√ß√£o e a empatia para entender as necessidades e as dores do p√ļblico-alvo. Tamb√©m √© importante identificar situa√ß√Ķes at√≠picas, que possam apontar para solu√ß√Ķes j√° encontradas (total ou parcialmente) por subgrupos daquele p√ļblico.

2. IDEAÇÃO

Durante a idea√ß√£o (ou colabora√ß√£o), a empresa busca reunir grupos que t√™m diferentes pap√©is relacionados √† cria√ß√£o do produto ou servi√ßo. Ela envolve n√£o s√≥ seu p√ļblico-alvo, mas funcion√°rios, fornecedores, pessoas da comunidade etc.

Essa diversidade possibilitará a geração de ideias ricas e inusitadas. Não deve haver qualquer tipo de julgamento ou censura sobre as propostas, que precisam fluir livremente nesta etapa.

3. PROTOTIPAÇÃO

Trata-se da etapa em que as ideias geradas são validadas e aperfeiçoadas. A companhia investe na construção de um protótipo, que representa a concretização do que foi idealizado na fase anterior.

Na etapa de prototipagem (ou experimentação), a equipe testa e descobre como o produto pode atender às necessidades do usuário final. Esses testes serão usados para aperfeiçoá-lo, até que ele possa ser reconhecido como uma verdadeira solução.

Apesar de ser conhecida como a terceira fase, a prototipação pode acontecer simultaneamente com as outras etapas, à medida que as ideias surgem.

4. TESTES

Essa é uma etapa fundamental, em que o protótipo precisa ser colocado nas mãos de um grupo de consumidores reais. Afinal, são eles que verificam se o produto ou serviço desenvolvido é capaz de atender seus objetivos e necessidades.

A perspectiva do usuário é fundamental para que a empresa tenha um feedback confiável. O objetivo é descobrir se ele soluciona os problemas do consumidor, facilita a realização de suas tarefas e contribui para seu sucesso ou bem-estar.

5. IMPLEMENTAÇÃO

Depois da prototipagem, é o momento de implementar o produto ou serviço. O principal objetivo desta etapa é obter um feedback e, por isso, a equipe precisa estabelecer indicadores e outros métodos de avaliação.

COMO O DESIGN THINKING √Č APLICADO NAS EMPRESAS?

Muitas organiza√ß√Ķes est√£o utilizando o design thinking para rever conceitos e desenvolver novos produtos e servi√ßos. Esta abordagem faz com que elas consigam ir al√©m da concorr√™ncia e atender √†s necessidades de seus clientes de forma mais ampla.

Dessa forma, as empesas passam a enxergar al√©m da est√©tica e tornam-se aptas a promoverem o bem-estar de seus consumidores. E, ao experimentar o ponto de vista do p√ļblico-alvo, √© poss√≠vel desenvolver produtos ou formas mais eficazes de abord√°-lo.

Portanto, a companhia terá uma equipe de vendas mais eficiente, um atendimento humanizado e um produto melhor do que o da concorrência.

QUAIS OS BENEF√ćCIOS DO DESIGN THINKING PARA UM NEG√ďCIO?

Vamos deixar ainda mais claro quais são os benefícios do design thinking para uma organização:

INOVAÇÃO

O foco da empresa deixa de ser ‚Äúo que o mercado sempre fez‚ÄĚ e torna-se ‚Äúo que o cliente realmente quer‚ÄĚ. Assim, ela pode sair √† frente de sua concorr√™ncia e oferecer, em primeira m√£o, produtos ou servi√ßos que seu p√ļblico demanda.

HUMANIZAÇÃO

A organização consegue, realmente, atender às expectativas dos clientes e promover o bem-estar de cada um deles. Ao aplicar esses princípios ao desenvolvimento de produtos e ao atendimento, serão promovidas a satisfação do consumidor e a humanização da relação entre ambas as partes.

EFICIÊNCIA

Conhecer o ponto de vista do p√ļblico-alvo faz com que a companhia entenda seus desejos, suas necessidades e suas motiva√ß√Ķes. Os vendedores podem desenvolver argumentos realmente persuasivos, aumentando as taxas de convers√£o e a efici√™ncia da √°rea comercial.

FIDELIZAÇÃO DO CLIENTE

A empresa passa a acertar o alvo: desenvolver um produto ou serviço de acordo com as necessidades do consumidor e proporcionar uma experiência inesquecível. E qual é o resultado?

Como se pode imaginar, um cliente satisfeito retorna. N√£o s√≥ isso: ele se torna um evangelista da marca e chama outros consumidores. Alguns resultados da fideliza√ß√£o do p√ļblico s√£o:

  • redu√ß√£o do Custo de Aquisi√ß√£o de Clientes (CAC);
  • aumento do Retorno sobre Investimento, ou Return on Investment (ROI);
  • aumento do Valor do Tempo de Vida do Cliente, ou Lifetime Value (LTV), e de outros indicadores positivos.

INVESTIMENTOS CERTEIROS

Quanto uma empresa perde ao lan√ßar um produto que n√£o obt√©m sucesso e a aceita√ß√£o esperada no mercado? Como o design thinking baseia-se na colabora√ß√£o de diversos grupos ‚ÄĒ inclusive clientes ‚ÄĒ, esse risco √© minimizado ou at√© eliminado.

A organização consegue desenvolver produtos que realmente atendem às expectativas dos consumidores, o que aumenta suas chances de sucesso. Os investimentos tornam-se certeiros e altamente lucrativos.

Entendeu o que √© design thinking e como ele pode beneficiar um neg√≥cio? Gostou do post de hoje? Que tal assinar nossa newsletter e receber conte√ļdos como este diretamente em seu e-mail? N√£o perca tempo: inscreva-se agora mesmo!


Previous Post Next Post