IOT: afinal, o que é Internet das Coisas?É bem provável que você já tenha ouvido falar de Internet das Coisas (IoT), não é mesmo? Esse termo descreve um panorama em que diversos objetos do cotidiano estão conectados à Internet e comunicam-se mutuamente. No entanto, o que esse conceito quer exatamente dizer? Qual a importância disso para as empresas?

A quarta revolução está chegando, as formas de produção mudam constantemente, e a IoT promete acelerar esse processo, o que gerará grandes impactos em todos os ramos de atividade.

Pensando nisso, preparamos este post para que você saiba exatamente o que é esse conceito. Confira agora!

O que é Internet das Coisas?

Esse conceito vem do inglês Internet of Things (IoT) e foi criado para a revolução tecnológica dos itens interconectados. Ou seja, a Internet das Coisas consiste na capacidade de os objetos conectados integrarem-se entre si, a sistemas, ambientes e pessoas.

É muito comum, no nosso dia a dia, vivenciarmos alguns exemplos disso, como as portas que se abrem automaticamente em alguns estabelecimentos por meio de sensores de presença. Também é possível acionar dispositivos de detecção de luz, movimentos, entre outros.

No entanto, tudo isso ainda é bem limitado se comparado a tudo que a IoT promete. Uma das maiores expectativas é que ela revolucione os processos de produção, com o uso de sistemas ciber-físicos. Isso vai permitir a automatização de processos por causa da interação entre ambientes, veículos, máquinas e produtos.

Entenda que a ideia principal da IoT não é fazer com que você tenha apenas mais um meio de se conectar à Internet. A proposta é diferente: a conectividade foca no sentido de que os objetos sejam capazes de ficar mais eficientes ou receber atributos complementares.

Um exemplo prático do cotidiano seria você receber uma mensagem em seu smartphone com a informação de que um alimento, que se encontra em sua geladeira, está acabando ou vencendo o prazo de validade.

Quais os impactos da IoT no setor de TI das empresas?

Quando dizemos que objetos de naturezas divergentes conseguem enviar dados para uma rede e receber comandos, um enorme volume de informações é criado a todo momento. Essa prática exige que sua empresa tenha sistemas capazes de compreendê-los, identificando padrões e extraindo insights.

São diversos os programas para a análise de dados gerados pela IoT. Sendo assim, é necessário dispor de plataformas e aplicativos para visualização em dashboards, análises e geração de relatórios.

Por isso, a Internet das Coisas é tão importante para o setor de TI das empresas, pois o uso de tecnologias, como machine learning e Big Data, por exemplo, vem ganhando um grande destaque no mercado.

No setor industrial, por exemplo, o aprendizado de máquina é bastante utilizado para a prevenção de riscos e a otimização da qualidade na fabricação em um processo conhecido como manutenção preditiva. No tocante ao Big Data Analytics, ele é usado para analisar as informações e extrair utilidade especialmente nos negócios, em que se busca meios de customizar os produtos para atender às necessidades dos clientes.

Esses dados colhidos são remetidos para redes e gravados em servidores. Como são criados automaticamente e o tempo todo, o volume de informações cresce consideravelmente no decorrer do tempo. Eles são materiais para análises relacionadas aos negócios.

Dessa forma, boas práticas de governança, como instalação de sistemas antivírus, realização de backups e políticas de acesso à informação, são fundamentais para garantir sua disponibilidade e qualidade.

Outra questão essencial é a segurança da informação. Como os objetos enviam informações privadas e podem ser controlados a longa distância, é preciso ter muita cautela na hora de validar quem terá permissão para acessar os sistemas.

Por esses motivos, surgem as necessidades de criação de métodos de criptografia que sejam mais trabalhosos de quebrar, desde que não comprometam a eficácia do sistema.

Dessa forma, percebe-se que a Internet das Coisas é alvo de grandes investimentos pelos empreendimentos, o que produz ótimas oportunidades para quem atua no setor de TI.

Além disso, ela pode ser aplicada em vários segmentos de mercado e exige recursos computacionais e profissionais qualificados, como infraestrutura, Big Data Analytics, desenvolvimento de sistemas e inteligência artificial.

Como a Internet das Coisas vai afetar as empresas?

As empresas necessitarão analisar como são os seus modelos de negócios, sua infraestrutura e, até mesmo, suas relações de trabalho para que esse conceito consiga auxiliar na potencialização das transações e não as prejudique. Confira, abaixo, como a IoT pode afetar as empresas:

Exigência de infraestrutura

Os aplicativos que estão ligados pela IoT recebem informações em tempo real. No entanto, para que isso seja viável, é preciso que haja capacidade para processar esses dados dentro do negócio.

Imagine uma empresa que tem muitos colaboradores que precisam ter acesso a diversas salas — nem todos eles podem entrar nos locais, e o controle do acesso é feito por meio de crachá, por exemplo.

Caso o funcionário precise aguardar para que o sistema faça a consulta ao banco de dados e valide sua entrada, isso pode ocasionar uma fila de espera, o que prejudica a produtividade de todos.

Melhora de performance

O uso da Internet das Coisas possibilita uma análise detalhada e rápida para a gestão da empresa, a melhora da logística interna, o controle do transporte de mercadorias, a remessa de informações sobre atividades feitas no empreendimento e o controle da produtividade.

Desse modo, a IoT simplifica a relação entre cliente e empresa, e tem a competência de aumentar a produtividade dos colaboradores.

Preocupação com a segurança de dados

Alguns mecanismos de IoT podem apresentar falhas de segurança. Nenhuma empresa gostaria de ter dados confidenciais vazados ou, até mesmo, que a tecnologia fosse visada por um hacker para ser usada contra ela. Sendo assim, a segurança da informação é fundamental e precisa ser muito bem planejada antes mesmo da adoção da Internet das Coisas.

A IoT pode trazer não só muitos benefícios para o negócio, como também um custo para a adaptação e a organização do empreendimento. É preciso ter uma equipe de TI competente e investir em infraestrutura e segurança das informações, a fim de que o sistema funcione de modo a potencializar os resultados e não provocar mais contratempos para a companhia.

E aí, gostou do nosso post sobre a Internet das Coisas? Então, compartilhe este artigo em suas redes sociais e ajude a espalhar o conhecimento! Vamos lá!