Hoje, a tecnologia já não exerce um papel auxiliar nas organizações. Em muitas empresas, ela operacionaliza grande parte dos processos (ou todos eles) e desempenha um papel cada vez mais relevante na tomada de decisões. Com tanta responsabilidade, espera-se que um gestor de TI de sucesso tenha algumas características. Você sabe quais são elas?

Pois é exatamente sobre isso que vamos falar hoje. Você vai descobrir o que o mercado espera desse profissional que tem uma importância cada vez maior nas organizações, elevando-as a um novo patamar de eficiência e contribuindo para a visão estratégica do negócio.

Quer saber que características são essas? Então acompanhe o post e confira!

Características essenciais do gestor de TI de sucesso

1. Conhecimento profundo do negócio

O gestor de TI não pode mais ser o nerd que só entende de tecnologia. Hoje, ele precisa visualizar como as novas ferramentas podem contribuir para melhorar a eficiência da empresa e como seu uso pode representar umavantagem competitiva.

Para isso, ele deve entender bem como funcionam os processos do negócio. Sem esse entendimento, o profissional vai propor as mesmas soluções que todo o mundo usa — e fazer o que todos já fazem não é uma forma de colocar a empresa à frente do mercado.

Esse gestor precisa acompanhar as novidades do setor e, mais que isso, visualizar formas de aplicar ferramentas ao próprio negócio de forma adequada. É fundamental conhecer as iniciativas da concorrência e elaborar meios de lançar tendências.

Outro ponto que o gestor de TI de sucesso precisa manter em vista é o planejamento estratégico da companhia. O profissional deve estar disposto a se debruçar diante de gráficos e analisar dados. Assim, ele identificará aspectos em que a tecnologia pode contribuir para alcançar seus objetivos estratégicos mais rapidamente e de forma efetiva.

2. Integração com os outros departamentos

Essa habilidade vai ajudar muito a melhorar seu conhecimento do negócio. A capacidade de interagir com os colaboradores dos outros departamentos, e de realmente ouvir suas necessidades e problemas, é fundamental para o gestor de TI.

É justamente por meio dessa interação que ele vai conhecer o dia a dia dos funcionários. Ele entenderá o impacto positivo que uma determinada solução traz à produtividade e as consequências negativas de falhas ou ferramentas inadequadas.

Dessa forma, o gestor consegue rever processos, elaborar soluções e propor automações que otimizam o tempo, tornando-se um aliado fundamental para alavancar a produtividade da equipe.

3. Realização estratégica de investimentos

Sabemos que o mercado de TI apresenta inúmeras novidades em uma velocidade vertiginosa. A tentação de incorporar cada uma delas ao negócio é gigantesca, mas até que ponto elas realmente podem contribuir para um resultado excepcional?

Essa é a questão que o gestor de TI precisa ter em mente constantemente — a relação entre investimento e resultado. Ele deve avaliar que equipamentos ou sistemas realmente são capazes de impactar na performance dos colaboradores e da companhia. Dessa forma, ele conseguirá direcionar a aplicação de recursos de forma consciente e eficaz.

4. Liderança e gestão de pessoas

E nem só com máquinas vive o gestor de TI. Em primeiro lugar, ele faz parte de um grande sistema complexo — a própria empresa. Mas não é apenas por isso que ele deve se transformar em um expert em em lidar e dirigir pessoas.

O gestor é também responsável por sua própria equipe. Ele tem um grupo de colaboradores que precisa trabalhar de forma organizada e alinhada para alcançar resultados.

Por isso, cabe a ele liderar esse departamento. Isso significa distribuir tarefas, dar suporte técnico para a realização de projetos, estimular o desenvolvimento contínuo de sua equipe e comunicar-se, de forma efetiva, mantendo-os “na mesma página”.

Conhecimento, suporte, motivação, orientação, oferta de feedback e, principalmente, a escuta são atividades inerentes a uma função de liderança. O gestor de TI deve estar disposto a desenvolver as habilidades necessárias para exercê-las.

5. Capacidade para identificar a origem dos problemas

Uma queixa frequente dos gestores de TI e suas equipes, em geral, é que grande parte do seu expediente é destinada a apagar incêndios — a restauração do funcionamento de sistemas e equipamentos.

Não se pode negar que é essencial solucionar essas ocorrências rapidamente. O grande problema é que, devido a essa situação, muitos profissionais trabalham quase que exclusivamente em função do urgente, deixando de lado atividades importantes.

O setor de TI precisa inverter essa lógica, identificando e solucionando a origem dessas ocorrências. Muitos dos eventos que exigem tempo e atenção são recorrentes e corrigir a fonte do problema e atuar preventivamente é a chave para reduzir sua frequência.

Somente dessa forma o setor poderá dedicar seu tempo a outra atividade importantíssima: desenvolver formas de usar a tecnologia a fim de colocar a empresa à frente de seus concorrentes.

6. Diálogo com o alto escalão de forma produtiva

Como já comentamos, a TI já desempenha um papel fundamental em muitas companhias. A tendência é que a área se torne ainda mais importante, adquirindo uma relevância estratégica inquestionável com a análise de dados, Big Data, BI, entre outras.

No entanto, em muitas organizações, a visão desse setor é bastante diferente. Ele é avaliado como um centro de custos, que gera despesas, mas não contribui para a geração do faturamento de forma direta.

Embora essa não seja a verdade, mudar essa visão do alto escalão depende muito da habilidade de diálogo e persuasão do gestor de TI. É ele quem vai mostrar, para o CFO ou ao conselho, quais são as vantagens competitivas que os investimentos que ele propõe vão garantir ao negócio.

Para isso, ele precisa de um material com o qual saiba lidar — dados. É essencial usá-los para demonstrar como novas ferramentas podem reduzir custos, evitar desperdícios, diminuir despesas com recursos humanos, apontar tendências, determinar o ciclo de vida de um produto, direcionar investimentos etc.

Esses são apenas alguns exemplos. O que o gestor de TI precisa realmente fazer é mostrar como essas ferramentas podem ser aplicadas no ramo de negócios em que atua para reduzir custos, favorecer a produtividade e aumentar os lucros da companhia.

Enfim, o que um gestor de TI de sucesso precisa entender é que ele tem um papel estratégico fundamental nas organizações. Para exercê-lo de forma plena, deve desenvolver competências que demonstrem sua capacidade de atuar dessa maneira.

Gostou do post? Conhece outros profissionais da área que também gostariam de saber quais são as principais características de um gestor de TI de sucesso? Então compartilhe este conteúdo em suas redes sociais e marque seus contatos!